Os verdes contra-atacam


Texto enviado pelo Leitor Infiltrado

Ambientalistas, cuidem-se. O debate convocado na Acil pelo Conselho Municipal do Meio Ambiente (Consemma) esta manhã revelou o que se desconfiava: raríssimas exceções, a maioria dos candidatos a prefeito não faz a mínima idéia do que significa discutir meio ambiente em Londrina. Belinati mostrou que nada sabe, Amadeu disse-se preocupado com a Amazônia, Hauly afirmou que quando foi prefeito de Cambé comprou os fundos de vale do município (de quem, se são áreas públicas protegidas por lei?), Cheida bradou contra a Usina de Mauá (após esquecer que a liberou) e Vilson Machado ateve-se a afiar seu instrumento ameaçador. Já André Vargas, passou o tempo rebatendo o tiroteio contra os desastres ambientais atuais da cidade. Marcos Colli, Cheida e Barbosa eram os mais coerentes, ainda que vez ou outra escorregassem no verde. Abaixo, algumas boas propostas e intervenções colhidas durante o encontro.  

 

“A cidade está meio careca, né?”
Do ambientalista Luiz Carlos Hauly, ao comentar a falta de árvores em Londrina

 

“Animal não vota, mas também não pode ser maltratado”
Do ecologista Antonio Belinati

 

“Ficamos brincando de bacia enquanto estamos poluindo o balde”
Lenhador Vilson Machado

 

“…devemos ter um tratamento que inclui também os resíduos de pneus e fuligens
que são canalizados para os rios”

do incompreensível Barbosa Neto, após se embananar em uma pergunta.

 

“O Tibagi ainda é um rio virgem, mas que pode dar muito”
De Barbosa, pregando o eco-sexualismo

 

“Temos que animar, recuperar o astral, empolgar”
 Hauly, em resposta nada-a-ver sobre o Código Ambiental de Londrina

 

“Já tão passando até cola para mim com o nome de quem ta ganhando dinheiro
com a capina e a roçagem na cidade”
 
Antonio Belinati, o probo, ao sugerir que há algo de errado com a Visatec

 

“Outro dia a cobra picou um burrinho de um cidadão lá no bairro
e ele perdeu o instrumento de trabalho dele.”

Belinati, o sábio, sobre o controle de animais

 

“Trazer a Sanepar para Londrina é fundamental.
O que temos hoje é um gerente regional e uns empregos meia-boca”

de Amadeu Felipe, sempre perguntando por que não ele

 

“Só cai o melzinho para ele”
Do ambientalista Hauly, ao reclamar que perguntas fáceis sempre caíam para Cheida responder

 

“É melhor transportar um visitante que venha conhecer Londrina dentro de um carro com insulfilme. Aí não dá para ver a sujeira que a cidade está”
Belinati, com mais uma proposta brilhante para a área ambiental

 

Fui e sou contra a Usina de Mauá no Tibagi. Temos que acabar com essa sandice e espero que todos aqui me ajudem com o projeto na Assembléia que tomba o nosso rio e impede qualquer usina nele. Quem sabe aí não acabemos com isso de Usina Hidrelétrica no Tibagi?”
de Cheida, após um ataque de amnésia, ao esquecer que quando foi secretário de Meio Ambiente do Paraná concedeu a licença prévia para a instalação da UHE Mauá.

Anúncios

7 Comentários

Arquivado em candidatos locais, Eleições 2008, legislativo municipal, Leitor Infiltrado, Londrina

7 Respostas para “Os verdes contra-atacam

  1. Pelo visto você é contra a instalação da Usina. Posição política à parte me espanta o Cheida ser contra e o Colli ficar “em cima do muro” em relação a isso.

  2. O caramba! deixa eu me corrigir. Pelo visto você é A FAVOR da instalação da Usina. Eu sou contra.

  3. Roberto Ortega

    Vinícius, eu, Roberto Ortega, sou contra (participei e até fotografei o protesto, tem as fotos aqui no blog).

    E o Leitor Infiltrado, que me mandou o texto, também é contra. O que pode ter confundido você é o fato dele criticar o discurso camaleônico do Cheida – que foi lá na ACIL falar que é contra, mas ele o governador, que é de seu partido, aprovaram tudo.

    Portanto a critica é ao falso discurso e não a ele vir falar mal da UHE Mauá.

    Até mais!

  4. O que me levou a acreditar que você é A FAVOR da instalação da UHE Mauá foi a seguinte afirmação: “Marcos Colli, Cheida e Barbosa eram os mais coerentes, ainda que vez ou outra escorregassem no verde.”

    Marcos Colli foi moderado, não se posicionando CONTRA a instalação da usina, como deveria se esperar dele, e propondo que os contras da instalação da usina (impacto ambiental, impacto social de expulsão das populações ribeirinhas e inundação de uma usina de carvão) fossem avaliados à luz da necessidade de infra-estrutura para o desenvolvimento econômico. Falo isso baeado na declaração que ele deu a respeito da UHE Mauá no Jornal de Londrina.

    Por “verde” entendo o discurso ambientalista, que é o discurso que está no fundo da NÃO instalação da Usina Mauá. Por “escorregar no verde” entendo uma crítica, como se cair nesse discurso fosse algo ruim. Vale lembrar que você colocou isso, de “escorregar no verde” de forma contraposta a “ser coerente”.

    Então, bem, o que você queria que eu pensasse?

  5. José Messias

    A repotagem é boa, mas corrija é Vilson não Wilson Machado…

  6. José Messias

    ou melhor reportagem

  7. Aldebran

    parabens
    fiquei fã do bloog

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s