Curtas [7]


Dúvida
Sobre o projeto de lei que obriga ônibus do transporte público a ter o escapamento virados para cima:
A idéia de jogar o ar sujo dos motores acima de nossas cabeças é para matar e acabar de vez com problema das pombas?

Marajás ou Amélias
Sexta-feita passada. Galerias da Câmara lotadas como não se via a muito tempo e apenas um vereador (Vera Rubbo) participando do debate da UHE-Mauá. O restante, imaginava eu, em seus gabinetes – até o teto de trabalho. Logo cheguei a conclusão que só poderia ser no gabinete itenerante, já que as salas estavam ocupadas por seus assessores. Outras até com as portas trancadas.
Praticamente nenhum vereador estava disponivel para responder a seguinte pergunta:

Vossa Excelência PICHOU muro neste ano eleitoral?

Tô pintando!
Alguns eu tenho certeza que usaram essa prática, como o presidente da casa Sidney Souza (PTB) e João Abussafi (PPS). Encontrei Abussafi no corredor e o mesmo alegou que pintou e os muros estão sendo repintados. Resta-nos esperar.

Mas outros…
As assessorias, na ausência dos vereadores em seus gabinetes, alegaram que os candidatos não pintaram muro. Antenor Ribeiro (PP) estava no gabinete, não atendeu o Ítalo Rodrigo (amigo que estava ajudando com as perguntas), mas a assessoria disse que não pintou.
Pessoalmente, Santini (PT) argumentou que a prática de pintar muros é de péssimo gosto pois é uma poluição visual, Fú (PDT), que estava ao lado, também emendou dizendo que não fez campanha com muros pichados.

Estranho
Lourival Germano (PT) já me disse que pintou e aprova a prática do pintar muros (afirmou que repinta também). Na época que questionei, ele desconheceu um aviso de sua coligação para uma eleição sem muros. Mais estranho foi que sua assessoria, ou os responsaveis de gabiente, afirmaram que ele não pintou muro. Ixe, pintou ou não pintou?

Dizem…
Andei lendo, ainda nada oficial, que os partidos tem até o final desse mês para acabar com as “propagandas eleitorias”. Isso lá na minha terra significa que blogueiros terão meses e meses de postagens mostrando as irregularidades pós-eleição.
Detalhe, se alguém sabe uma lei ou resolução (citando o artigo, é claro) que obrigue candidatos a cessarem com as propagandas eleitorais (papel/adesivos/muros), me avise.

A vida como ela é…
“Sei que estamos em clima de fim de festa”, disse Antenor Ribeiro (PP) na última sessão. Além do numero reduzido de vereadores em plenário, Jamil Janene (PMDB) que não está nem preocupado por não ter sido eleito para a próxima legislatura, apareceu de camisa toda estampada.
Já eu, quando fui de bermuda na sessão… levei bronca.

Eterno-retorno
A briga em cima da Presidência da Casa já começou. Na terça, Paulo Arildo (PSDB) contava aos demais que estava articulando uma vaguinha na mesa com os calouros da Câmara. Quem não gostou foi o Tito Valle, que também deseja a presidência.
Quando o Frazão pergunta o que a nova presidência pode fazer além do que fez a anterior, com Sidney Souza, o tucano pensa e responde: “Ah, não tem algo para se fazer de diferente”.

Câmara Escura
Há quem diga que a próxima legislatura estará mais periculosa que a atual. Isso significa que eu vou continuar exercendo ilegalmente a profissão, como brinca o Marrom.
Se essa previsão estiver correta, melhor a Câmara aumentar o espaço da imprensa no recinto. Haja jornalista para tanto assunto.

Miguxos
Sempre existe alguma fala de descontração em prenário. Durante a Sessão da Tarde, há várias sessões atrás, Fú denunciava um buraco (de grande profundidade) que poderia causar acidentes em um local da cidade. Enquanto exibia imagens, Fú questionava: “De quem é esse pézinho? de quem é?”. Todo mundo sacou que era de seu assessor, Rogério Ortega. A sombra dedurava a resposta.
Já na última, Marcelo Belinati (PP) ofereceu um bombom para Fú se acaso ele acertasse uma pergunta.

Bronca
Mas o miguxês nunca dura muito. Na última terça, Glaudio (PT) ficou nervoso com a displicência de alguns vereadores por estarem em rodinhas, celulares e longe do assunto “licitação” que ele debatia. “Ninguem tá prestando atenção! Ninguém ouve e depois quando escuta a palavra licitação quer subir na mesa e sapatear”.

Vale a pena ler de novo
Antenor Ribeiro (PP), já interrompeu discurso de vereador para fazer piada. Está aqui no blogue, na postagem Curtas [2]:

“Aparte
Quando Jamil Janene reclamava da saúde na zona sul/norte e citava um aparelho de raio-x quebrado, Antenor Ribeiro pediu aparte. “Vi no jornal que uma mulher no nordeste tem visão de raio-x, seria o caso contrata-la”, salientou o radialista, vereador e agora piadista do Partido Progressista.”

Anúncios

2 Comentários

Arquivado em candidatos locais, Eleições 2008, legislativo municipal, Londrina, Paraná, política, protesto

2 Respostas para “Curtas [7]

  1. Ariane

    Com relação a postagem curtas:

    Ainda existe um processo no Ministério Público sobre a apropriação de salário de assessores por parte do Vereador Paulo Arildo (PSDB). Acho temerário a candidatura do Vereador enquanto esse caso não for resolvido.

  2. Ulisses

    Sabe, um amigo meu às vezes me diz pra mim mesmo: por que que eu não passei uns tempos na Colômbia, virei guerrilheiro, fiz contatos e voltei pra Londrina?

    E então eu respondo: Cara, isso ia ser LEGAL!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s