Notícias de um protesto pró-Belinati


O óbvio aconteceu. O protesto, que já era anunciado ontem minutos após a divulgação da impugnação de Belinati, começou hoje por volta das onze da manhã. A maioria que protestava era da periferia da cidade – cerca de 350 – e todos em tom uníssono pediam a “volta do povo a prefeitura” (povo que, aliás, ainda nem chegou nela). 

Cerca de 400 manifestantes invadiram os prédios públicos. Muitos apareceram de onibus fretados, outros souberam pela imprensa local.

Cerca de 350 manifestantes invadiram os prédios públicos do Centro Cívico. Muitos apareceram de onibus fretados, outros souberam pela imprensa local. Por fim, manifestantes foram até o calçadão.

Como esse grupo de pessoas apareceu no centro cívico? Segundo os próprios manifestantes, isso foi organizado entre eles, quando saiu o resultado da impugnação. Já outros alegam que “foi tudo anunciado na TV”. Uma das várias pessoas que conversei, moradora do União da Vitória 2, diz que ficou sabendo da notícia ontém à noite e na mesma hora foi para a rua contar a sua indignação aos vizinhos – que também estavam revoltados. Ela diz que saiu de casa num domingo e depositou o seu voto em alguém e se esse alguém ganhou ele tem que assumir. A senhora vai além e cutuca: “Se ele tem 90 processos, ele não tinha que estar na cadeia? Que cachorrada é essa com a gente?”.
Mais duas mulheres, vizinhas de bairro, fazem coro. Pergunto se, num outro cenário eleitoral, eles apoiariam Barbosa (?), todas são taxativas ao dizer: “Sem Belinati a gente não vota”.

A tal da “democracia”

A dama da tarde foi a palavra “democracia”. Estava na boca de todos e em todos os momentos. Ouvi frases enfurecidas de “afronta a democracia”, “mataram a democracia”, “sumiu a democracia” e perguntas como “que merda de democracia é essa?”, “cadê a democracia?”.
Num momento em que pegava depoimento de uma senhora, o manifestante que passa ao lado grita: “É o genocídio da democracia”. Uau!

Arabians Showman

Omar Zabian, homem que comandava o programa Arabians Show (desculpe-me, não sei se ainda existe na Tv Viana), foi o âncora do protesto. Inicialmente, através de sua voz, já emitia frases de ordem para multidão em sua volta. Depois com um megafone. Logo arrumaram um pequeno carro para ele subir.
Omar já estava com a sua camisa cinza completamente escura de suor. Mas ele conseguiu, enfim, o seu momento: Um caminhão de som de “Rubens Loureiro-PV”. O apresentador aproveitou e fez de um protesto um programa de auditório Belinatista, com espaço para jingles, falas aleatórias da platéia e até distribuição de brindes, como adesivos, bandeiras e água.

Arabians Showman [2]

Mas, assim como na TV, seu esforço era pouco reconhecido pela maioria. O que interessava mesma era gritar, de algum modo, que Belinati tinha que voltar. Para isso a platéia de Omar provava a cada palavra que ele não tinha papel relevante algum em cima de um caminhão.
Quando Omar puxava uma musica, o povo cantava. Quando ele fazia qualquer pergunta, o povo dava respostas afirmativas. Por falta de estratégia ou pela emoção do momento, o árabe questiona ao público:

– O povo é bobo???
– É É É!

Com cara de desapontado, Omar diz que “não, pô” e repete a pergunta. Após isso, ele apenas seguiu o caminho do complete com os manifestantes: “A volta é do povo à prefei…”, “Nós queremos o Belina…”. O povo mostrava que gostava mesmo é cantar e ficar no “tura”, “ti” e “cadê a democracia?”, certamente não tinham cabeça para ficar ouvindo o árabe num megafone baixíssimo.

Em certos momentos, ele se empolgava e até cobrava: “A voz do povo é a voz de…?”, “Vamos lá, eu não ouvi…”.
Para programa de auditório, só faltou aviãozinho com nota de R$50.

Sacaram o Showman

Num determinado momento, o Showman Omar explicava que fazia todo esse malabarismo num caminhão de som pró-Belinati pelo bem da população, por amor a Londrina e por acreditar no cassado. Ele pede atenção e silêncio para aprofundar:

– Não tenho pretenção de ser político…

Nesse momento um rapaz que passa ao meu lado aponta:

– Que migué! Ó ae. Esse já tá dentro.

E pelos comentários que rolam em blogs, como o do Paçoca com Cebola, Omar é cotado para ser o Secretário de Cultura. Vão além, postando que ele está envolvido com a faixa rasgada do movimento “Belinati Não!” e em boataria anti-Barbosa.

Tá certo

Protesto deixa vidro da Câmara quebrado

Sandra Graça (PP), vereadora reeleita da turma Belinatista, até tentou simular que ver todo aquele povo era uma grande surpresa, mas não deu. Muitas pessoas começaram a cercar seu carro, abrindo a porta, trazendo ela para fora. Rolou até um “Sandrá Graça! Sandra Graça!”.
Como resposta automática, ela apenas recebia os beijos e dizia “Ta certo, ta certo”, afinal, todos diziam que o Tio Bila vai voltar. Um rapaz ao lado suspirou: “Oh Sandra, a gente vai quebrar tudo”. Ela virou rapiadamente dizendo “quebrar não, gente! quebrar não!”. Ufa!

Mas o pedido veio tarde, já haviam quebrado o vidro da porta da Câmara de Londrina… lugar que Sandra Graça e outros pepistas trabalham.

Promessas

Das promessas de última hora que ouvi dos manifestantes, a que conseguiu o maior numero de adeptos foi a de queimar o título se acaso não reverterem a situação. Um senhor, que parecia puxar vários gritos e mobilizar um bom numero de pessoas no centro cívico animou: “Onde está a cidadania? Não vamos votar, vamos queimar o título”. Exclamações, gritos, pessoas abrindo carteiras e bolsas, porém, vendo a negativa da imprensa, o senhor lembra: “Vamos mesmo, hein, eu prometo. Se ele não for pra prefeitura, nois queima”.

Mas depois que as emissoras de TV chegaram, um grupo se reuniu na calçada do Forum e lascou fogo não só nos titulos de eleitor, mas até na Constituição.
Interessante pensar que alguém anda com uma constituição no bolso – ou já era algo pensado? Segue o video do Portal Bonde:

Ministros na mira

Na parte da manhã, ainda longe dos protestos, lia o Jornal de Londrina no balcão de uma loja. Na matéria que mostrava o TSE, havia uma mira no ministro Ayres Britto e o seu nome estava circulado no texto.

Durante o protesto, o que aconteceu foi uma enxurrada de ofensas ao juizes que votaram a favor da impugnação. “Aqueles 5 jaguaras – sim, ué, é jaguara – tem coragem ainda de se olharem no espelho?”, dizia uma mulher com o microfone em mãos, em cima do caminhão. Outro, que foi candidato e não se indentificou, acusa: “Esses ministros são comprados a preço de ovo”. E em menos de 5 minutos um senhor resume em seu discurso: “Cagalhões!” e puxa a cantoria pró-Belinati.

Enquanto falavam, várias pessoas concordavam e emendavam. Exemplo de uma senhora ao lado: “Democracia é o povo e não cinco gato-pingado sem fazer nada”.

2 Comentários

Arquivado em Belinati, candidatos locais, Eleições 2008, jornalismo, legislativo municipal, Londrina, Manipulações, Paraná, política, protesto

2 Respostas para “Notícias de um protesto pró-Belinati

  1. Ítalo Rodrigo

    O “arabian show man” deu aula de manipulação de massa, infelizmente…

  2. silvia rodrigues

    acho que esses ignorantes ai nao sao tao ignorantes nao, porque so queimaram o titulo ? porque e de graça… porque nao queimaram a identidade ,afinal tem que pagar pra fazer ne…

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s