sobre este blog

O blog

O blog funciona como uma “válvula de escape”. Na psicologia, descobrimos que todos os nossos dramas e frustações são recalcados para o inconsciente; elas não evaporam, elas se escondem. Essas energias recalcadas precisam ser exaladas de algum modo: O recém-nascido morde o seio e chora; Uma criança brinca de casinha e bate na boneca; Um outro prefere jogar games de tiro; Alguns viram emos e outros, por fim, criam um blog em um sítio qualquer.

As opiniões

Aqui se impõe a opinião, e, obviamente, na há opinião sem parcialidade. Não que eu queira assassinar a chamada imparcialidade no fato jornalístico, que serve como escudo da mídia em geral, mas sim trata-la como deveria ser tratada. Segundo o dicionário Priberam, imparcialidade significa ser neutro. Também pode significar ser justo ou apenas procurar a verdade (sic). Logo temos o primeiro hiato: Ser neutro é não ser a favor nem contra; Por outro lado, procurar a verdade é descobrir um lado certo. A imparcialidade, principio básico da profissão, pode ser um divisor de águas, onde de um lado ficam os neutros e do outro lado estão os que vão além do discurso brando para descobrirem a verdade – ou, no mínimo, chegar perto dela.

Roberto Ortega, com cara de paisagem

O autor

Meu nome é Roberto Ortega, tenho 23 anos e sou de Londrina, no Paraná. Estou cursando o 4º semestre de jornalismo e tenho como um interesse incontrolável a fotografia. Escrevo para me sentir útil em alguma coisa – mesmo sabendo que isso pode não parecer um serviço de utilidade.

Contato: rluis.ortega@gmail.com
ou use o espaço destinado aos comentários de cada artigo.